14 de out de 2010

Truman no País das Maravilhas

Esse texto é um trabalho para a disciplina Redação e Hipertexto II.

Texto baseado no filme O Show de Truman de 1998 e no texto Truman Reloaded de Renato Seabra e Eder Santos.


Truman no País das Maravilhas

Truman, ao ver Christoffer recebendo a estatueta, começa a pensar em tudo o que viveu até ali - falso ou não. Controlado ou não. - Christoffer sempre olhou por ele – mesmo que ele não soubesse.
Foi quando Christoffer voltava ao seu lugar, Truman deu um abraço nele, dizendo ”Papai!?”. Christoffer então disse para ele que o colocaria em um mundo muito melhor. Então, o levou para o País das Maravilhas.

Logo que chegou lá, viu um coelho que corria e falava “É tarde, é tarde. Tão tarde até que arde. Ai, ai, Meu Deus! Alô, adeus! É tarde, é tarde, é tarde...”. Nem deu tempo para pensar quando apareceu uma menina correndo atrás do tal coelho.
Na correria ela deixou seu celular cair.
Truman pegou o celular e correu atrás da garota. Depois de passar por vários lugares esquisitos e ter conversado com um monte de bichos não identificáveis e estranhos eis que ele chega ao reino de Copas.
“CORTEM-LHE A CABEÇA!” foi o grito que escutou. Foi então que decidiu salvar a garota. Quando Alice o viu, pensou que fosse o príncipe encantado! Ops! O que era aquilo? Um coelho branco! Mas príncipes vêm com cavalos...
Foi quando o tal coelho abriu seu relógio e se transformou em um coelhão, o príncipe montou nele e partiu para o duelo com a rainha.
Com a ajuda do Coelhão ele derrotou a rainha, foi ao encontro da Alice que já estava toda derretida... quando ele falou “Vim te devolver o celular”.
Alice não tinha mais dúvidas - não era sapatinho, mas era celular - ela foi logo dando um beijão daqueles em Truman que não entendeu nada, mas gostou e resolveu viver no Reino de Copas com a “princesa” e tiveram vários filhos e vários coelhinhos.

Autoria: Giselle Gomes e Juliana Lucca.

Nenhum comentário: