24 de mai de 2010

Não julgue um livro pela capa (?)

Dito popular que tem o significado remetido à: não tirar conclusões precipitadas e blá, blá, blá etc e tal...
Bom, na verdade não interessa, por que nós (leitores ávidos) praticamos essa frase no sentido literal, aliás, ela se encaixa numa lista de regras nunca descritas e que seguimos inconscientemente.
Um tipo de primeiro mandamento dos loucos por livros.
No entanto, na hora da escolha, uma capa esteticamente agradável realmente favorece um livro, do mesmo modo que uma capa nada legal pode dar uma impressão errada e fazer um título perder pontos.
Pensando nisso, selecionei algumas capas legais.

Li e gostei da capa (e do livro)

Belezas Perigosas (Libba Bray)
Primeiro volume da trilogia Gemma Doyle publicado no Brasil pela Rocco em 2008 (Para ler a sinopse clique aqui)
Nome Original: A Great and Terrible Beauty
Sobre a capa: A imagem retrata o estilo da época em que se passa o livro - final do século XIX - fazendo da vestimenta o recurso para mostrar isso.
A capa do segundo volume - Anjos Rebeldes - não muda muito e a do terceiro livro - intitulado The Sweet Far Thing (o único ainda não lançado no Brasil) - chega a parecer que apenas mudaram de ângulo.
É uma das minhas favoritas porque cabe perfeitamente no contexto da história e ainda me faz lembrar daqueles vestidões de época que me encantam desde pequena.


Vou ler por causa da capa (e da sinopse, é claro)

Whisper (Phoebe Kitanidis)
Primeiro volume da série que leva o mesmo nome, lançado nos Estados Unidos dia 27 de abril desse ano. (Para ler a sinopse em inglês clique aqui)

Sobre a capa: não faço idéia sobre qual é o conceito da capa AHÁ! Mas é uma capa que me chamou atenção pelo modo como "mostra" silêncio, e no livro a personagem principal ouve sussurros dos mais profundos segredos das pessoas. Qual ambiente mais propício à sussurros que um ambiente taciturno? Além disso, a expressão de nada no rosto da garota que parece ficar encarando quem olha a capa, é bem legal!
Outro fato: fumacinhas medonhas em capas de livros me recorda situações sobrenaturais, o desconhecido, coisinhas sombrias que dão um pouco de medo. Adoro.

Eu queria ter essas versões =/ (alguém troca comigo?)

Sou apaixonada pelas versões adultas das capas de Harry Potter, que mostram objetos e cenas relacionados ao título do volume em questão.
As composições são bem simples, sem muitos elementos, realmente dando total atenção ao que é preciso.

São poucas capas dessa vez, em outro post coloco minhas favoritonas, pelas quais eu sou fascinada mesmo! Porque tenho que fazer um post mais digno para elas.

xoxo
Juliana


P.s.: de fato, meus gostos são bem duvidosos e eu estava divagando muito, então culpem os medicamentos para gripe!

4 comentários:

O mundo encantado do Design disse...

Antigamente, qdo eu era novinho ( já fui criança ), adorava os livros do Sidney Sheldon. Porém, as capas pareciam daquelas revistas "Julias, Ana Marias e Afins" que lotavam as bancas com romances femininos.
Ai eu escondia a capa pra ir pra casa, com medo que se alguém visse, me zuasse. Vida duro de nerd adolescente, ahahha

Juliana disse...

Sério?
HADSUIASHDISAU
E, putz! é mesmo! essas capas dessas séries de Romances de banca são bem tensas!
Nem eu queria ser pega com uma semelhante!

Dani disse...

Eu SEMPRE julgo um livro pela capa. É inevitável. XD

Evellyn disse...

Concordo plenamente!
Tem livros que só pela capa linda da vontade de ter em casa! isso aconteceu comigo em Fallen... Tb gosta da historia, mas a capa.... Uh, magnific!
Eu ia die sem saber que HP tinha capas estilo adulto! Achei bem mais bonitas...ok
bjo
♥ Evellyn - heyevellyn.blogspot.com